Laserterapia

Prevenção e tratamento de mucosite oral com laser de baixa potência





Ilustração Laserterapia

A mucosite oral acomete aproximadamente 40% dos pacientes submetidos a tratamentos com quimioterapia e quase 100% dos pacientes submetidos à radioterapia na região da cabeça e pescoço, além de ser a complicação mais comum em pacientes submetidos a transplante de medula óssea.

Esta condição inflamatória se manifesta na mucosa da cavidade oral e do trato gastrointestinal, através de eritema, ulceração, hemorragia, edema e dor severa. As ulcerações aumentam o risco de infecções e trazem limitações ao paciente, comprometendo inclusive o seu estado nutricional pela dificuldade ou impossibilidade de se alimentar. Quando em estado grave, a mucosite oral e as infecções e sintomatologia associadas a ela podem levar à interrupção do tratamento oncológico, comprometendo o controle do crescimento tumoral e reduzindo a sobrevida do paciente.

A Laserterapia (ou laser terapêutico ou fototerapia) tem se destacado cada vez mais como um auxiliar no tratamento de diversas patologias por acelerar processos de cicatrização, controlar inflamações e reduzir dores e edemas. É um processo não invasivo e indolor. No caso da mucosite, a laserterapia, associada à boa higiene oral e tratamento medicamentoso para mucosite, apresenta excelentes resultados.

Pacientes que serão submetidos a tratamentos oncológicos (através de radioterapia e/ou quimioterapia) podem evitar a ocorrência e complicações de mucosite através de aplicações de laser de baixa potência antes e durante o tratamento a que serão submetidos.

O tratamento e prevenção de mucosite oral através da laserterapia consiste em aplicações de laser de baixa potência diretamente na mucosa oral do paciente, combinadas com sessões de Terapia ILIB.